5 quadrinhos nacionais para brindar a nostalgia

Dia 30 de janeiro comemoramos o Dia do quadrinho nacional. Apesar de ser instituída em 1984, a data tem uma história muito mais antiga. Em 1869, nesta data, Angelo Agostini publicou na revista Vida Fluminense “As Aventuras de Nhô Quim ou Impressões de Uma Viagem à Corte”, aquela que foi considerada a primeira história em quadrinhos do Brasil.

Para comemorar a data, decidimos relembrar os cinco quadrinhos nacionais que mais marcaram as nossas vidas e que revisitam nossas infâncias. Ou seja, esse texto é pura nostalgia. Confira:

  1. Turma da Mônica, Mauricio de Sousa.

Sim, começamos pelo mais clássico. Dez entre dez brasileiros aprenderam a ler com quadrinhos da Turma da Mônica. A turma do bairro do Limoeiro nasceu em 1959 pelas mãos do cartunista Mauricio de Sousa. Em sua primeira versão, eram publicadas em tiras de jornais, com histórias de Bidu e Franjinha. Em 1960 nasceu o Cebolinha e em 1963, a Mônica, uma personagem puramente inspirada na filha do criador, que, como todos sabem, tem o mesmo nome. Em 2008 foi criado um spin-off da Turma da Mônica, inspirada em mangás. Intitulada de Turma da Mônica Jovem, os mangás contam a história dos personagens em suas versões adolescentes. A Turma da Mônica tem gibis e produtos licenciados em 40 países e 14 idiomas.

 

  1. Os Trapalhões, Ely Barbosa.

Didi, Dedé, Mussum e Zacarias não foram só memoráveis na televisão. Nas décadas de 70, 80 e 90, Os Trapalhões ganharam as revistas em quadrinhos e divertiram a criançada na época, tanto quanto divertiam na televisão. Algumas histórias foram memoráveis, como o Superóme, uma paródia em que Didi vivia o Super-Homem, o Homem-Arranha, em que Didi vivia nosso queridinho Aracnídeo entre outras pérolas. (Lembrou de alguma? Escreva nos comentários!) Uma curiosidade: quem deu vida para os personagens animados foi a Mauricio de Sousa Produções.

 

  1. Sérgio Mallandro, Editora Abril.

Isso mesmo, o cara do glu-glu ganhou sua própria revista em quadrinhos na bela época dos anos oitenta. Apesar dele ter protagonizado um dos piores filmes brasileiros de todos os tempos (estamos falando de As Aventuras de Sérgio Mallandro, que tinha Pedro de Lara, Mara Maravilha e Alexandre Frota no elenco), a história em quadrinhos divertiu toda uma geração. Nessa mesma leva, tivemos quadrinhos da Xuxa, da Angélica e do Gugu.

 

  1. 4. O Pequeno Ninja, Tony Fernandes.

Com sua primeira publicação em 1990, O Pequeno Ninja era uma história inspirada no universo japonês que fez os fãs de Jaspion e Jiraya pirarem. O personagem principal se chamava Eugênio, era filho do líder de um poderoso clã ninja e ainda era treinado nas artes secretas do ninjitsu. Pura inspiração, não é mesmo?

 

  1. O Menino Maluquinho, Ziraldo.

Tudo começou com a Turma do Pererê, mas temos certeza que as histórias mais marcantes ficaram por conta do Menino Maluquinho. As histórias em quadrinhos, criadas pelo desenhista e cartunista Ziraldo, foram sucesso entre os anos 90 e 2000. Os quadrinhos eram baseados num livro lançado em 1980 com o mesmo nome (que virou até filme e ópera). O enredo é básico: as peripécias da infância, de um menino cheio de manias (que não tem nada haver com a música do Raça Negra).

E aí, acrescentaria algum nesta lista? Qual mais marcou você? Conta pra gente nos comentários!