This Is Us: o drama que você vai viciar

Pegue o seu lencinho, prepare-se para mergulhar em lágrimas. Antes de começar este texto já aviso: é impossível sair imune ao assistir This Is Us. A série conta a história de uma família e mostra momentos de felicidade e de angústia que dificilmente alguém não vá se identificar. This Is Us iniciou sua primeira temporada em 2016 e teve seu desfecho em março deste ano. Atualmente está no início de sua segunda temporada.

Milo Ventimiglia, eterno Gilmore Girls, rouba mais uma vez nosso coração

Tudo começa quando, no dia de seu aniversário, Jack Pearson (Milo Ventimiglia, da antiga série Heroes) ganha o presente que vai mudar a sua vida. Ou melhor: os presentes. A sua esposa, Rebecca (Mandy Moore – sim, esse casal é incrível e impressionante), está grávida de trigêmeos e entra em trabalho de parto. Apesar de ser um momento de muitas alegrias, um dos bebês nasce morto. Mas os pequenos Kate e Kevin logo ganham um irmão. Um bebê que foi deixado no Corpo de Bombeiros, nasceu no mesmo dia e é adotado por Jack e Rebecca. Randall (re)completa o trio.

Uma das grandes sacadas dessa série é que ela oscila o passado com o presente. Vemos tudo que aconteceu desde 31 de agosto de 1980 (dia em que os bebês nasceram – e até uns anos antes) e o que está acontecendo no momento atual dos adultos de 36/37 anos. Os mini-flashbacks-gigantes explicam tudo o que está acontecendo com os personagens que cresceram, mostrando que o que acontece na infância e adolescência molda cada ser humano para ser o adulto que se torna.

A fotografia acerta em cheio. Quando estamos nos anos oitenta, a série é toda em tons amarelos, montando um cenário de lembranças. A obra de Dan Fogelman, produzida pela NBC, não acerta só no drama, mas também em todas as questões técnicas envolvidas. O roteiro não fracassa em nenhum dos vinte e um capítulos (dezoito da primeira temporada e três da segunda – que já estão disponíveis em plataformas como o iTunes). A cada novo episódio, uma nova peça do quebra-cabeça vai se formando e novas partes de cada uma das histórias são reveladas, dando sentido a várias deixas que já tivemos em outros episódios.

Kevin irá arrancar sorrisos!

Na época atual, Kevin, vivido por Justin Hartley (o Oliver Queen, de Smalville) é um ator que só é visto como um bonitão. Apenas isso. Fazendo um papel de destaque num Sitcom de comédia, O Babá (e ganhando muito dinheiro com isso), o jovem é desacreditado. Certo dia, ele surta e pede demissão. Aí vemos um dos arcos de maior amadurecimento da série, já que Kevin, por muito tempo, viveu do que a fama da televisão oferecia para ele, até perceber que podia ser bem mais que aquilo. O que, mais para frente, acarreta em mudanças significativas para a sua vida. Spoiler alert: você vai simpatizar com ele e várias das suas atitudes vão arrancar uns sorrisos involuntários do seu rosto.

Kate (Chrissy Metz) vai ser a personagem que mais vai fazer você se questionar o porquê das suas atitudes. Mas tudo bem, nessa série, felizmente, tudo tem explicação. Ela é obesa, com sérios conflitos com a mãe e com uma constante dúvida sobre si mesma. Ao mesmo tempo, é quem coloca toda a família no eixo. Kate tem uma alegria e uma delicadeza dentro de si que sobrepõem toda a sua insegurança. Por muitos anos, foi assessora de imprensa do seu irmão, Kevin, mas com a saída dele de O Babá, precisou repensar a profissão. Ela encontra um cara super legal, Tobby (Chris Sullivan), que deixa a vida dela ainda mais leve.

Randall, vivido por Sterling K. Brown, vencedor do Emmy pela atuação nesta série, protagoniza as cenas mais intensas de This Is Us. Um homem negro, adotado por uma família de brancos, que sempre se destacou pela inteligência. Perfeccionista, workaholic, que procura estar seguro e ser o melhor em tudo que faz. Tem uma família com a esposa Beth (Susan Kelechi Watson), com duas filhas (que são super fofas), um emprego em Wall Street e uma casa num bairro chique. Mas tem uma lacuna em sua vida: quer conhecer a família biológica. Para isso, ele contrata um detetive particular e descobre seu pai, Willian (Ron Cephas Jones). Willian é um músico, ex-viciado, que está com câncer terminal. A partir daí, a vida de toda a família começa a mudar.

This Is Us fala sobre preconceito racial, homossexualidade, gordofobia, alcoolismo, vício em drogas, violência contra a mulher, inseguranças e dramas do cotidiano de uma forma delicada, consciente e necessária. Nenhum dos assuntos é banalizado e abordado de forma irresponsável. É uma série que emociona, ensina, preenche o coração e, acima de tudo, te faz revisitar felicidades e dramas da sua própria família. A Vigília mais do que indica essa grande série, que dispensa os efeitos especiais, os super poderes, a paranormalidade. This Is Us não precisa de nada disso. Ela fala de algo muito mais importante: This Is Us fala sobre cada um de nós e você, definitivamente, precisa assistir essa série.

Veredito da Vigília